“For Emma, Forever Go”

bon_iver-for_emma_forever_ago-new

É notório que pés na bunda e corações partidos são uma das grandes – se não a maior – fontes de inspiração para músicos e poetas criarem suas obras. Aquele que por muitos é considerado o primeiro álbum conceitual da história, In The Wee Small Hours, de Frank Sinatra, versa basicamente sobre isso. Um dos grandes poetas da música brasileira, Cartola, era mestre em transformar a dor profunda em lindas canções – “As Rosas Não Falam” talvez seja o melhor exemplo.

Justin Vernon, o americano por trás do projeto Bon Iver, passou por isso recentemente. Fundador da banda indie DeYarmond Edison, ele e seus três colegas resolveram tentar a sorte em Raleigh, na Carolina do Norte. Depois de um ano eles brigaram e Vernon resolveu voltar para casa, em Eau Claire, Wisconsin. O fim de um relacionamento amoroso também colaborou na decisão do retorno. Já em casa, o cantor resolveu passar um tempo isolado em uma propriedade da família no norte do estado. Basicamente queria ficar sozinho para se recuperar de tudo que havia acontecido.

E então, três meses depois, ele apareceu com o material que resultou no disco For Emma, Forever Go. Gravado de forma caseira por Vernon, que tocou todos os instrumentos, o disco apresenta muitas camadas de overdubs, principalmente vocais. Para reproduzir o clima nos shows, o cantor costuma distribuir folhetos com as letras para o público cantar junto – “não quero ser apenas um cara com um violão cantando músicas, porque isso é chato”, ele já declarou.  A idéia inicial de Vernon era mostrar as canções, que ele considerava como demos, para algumas gravadoras e depois regravá-las. Por insistência de amigos ele lançou o disco de forma independente em setembro de 2007, atraindo a atenção da gravadora indie Jagjaguwar, que relançou o disco em fevereiro de 2008, mantendo as versões minimalistas.

Sonoramente o disco é bem despretensioso, simples e rústico – mas, bem, vale lembrar que ele foi gravado em uma casinha no meio do nada. Na verdade, Vernon não precisou mais do que seu violão e um punhado de lindas melodias vocais para criar um dos discos mais lindos lançados na década. Folk no sentido mais calmo do termo, ele vai combinando delicados dedilhados a batidas secas nas cordas do violão, subindo o tom da voz nas melodias conforme elas evoluem, deixando um leve coro mais grave para trás para alcançar agudos solitários no limite da afinação. Acalma e instiga com seus versos majoritariamente curtos que tentam trazer conforto ao cantor mas que, tamanha a intimidade que o disco exala, parecem falar diretamente aos corações de quem o escuta pela primeira vez. São apenas nove músicas, e não é necessário nem um minuto a mais.

For Emma, Forever Go é dessas pequenas jóias que poucos vão ouvir. Vai entrar em algumas listas de melhores de 2008, mas não vai fazer estrago. Amigos vão trocar o MP3 entre si e alguns pretensos profetas vão tentar convencer todos de que ele é a melhor coisa lançada nos últimos anos. O que não deixa de fazer um certo sentido pois, assim como uma canção do Spiritualized ou uma comédia de Woody Allen, ele tem o poder de salvar dias cinzas. E isso já é o bastante.

Para assistir: a versão à capela da canção que dá título ao álbum no La Blogotheque

Anúncios

Tags: ,

3 Respostas to ““For Emma, Forever Go””

  1. Tag Brum Says:

    E ai? Blz?

    Vc nao me conhece, mas eu conheco a helena nacinovic, que me indicou vc como um potencial colaborador, por isso to mandando essa mensagem.

    Nao sei se vc jah ouviu falar, mas eu sou um dos editores do blog speakorama, editor na falta de titulo mais apropriado mesmo. sou um postador do blog, criador do bichinho e responsavel pela sua reputação subversiva. o lance eh que o projeto inicial, era juntar uma galera de backgrounds diferentes e que fosse ligada em cultura pop e fazer do blog um tipo de conversação entre os bloggers e os leitores.

    o lance eh que o tempo vai afastando as pessoas, por todos os motivos que vc mesmo sabe.

    bom, eh mais ou menos isso, passa lah speakorama.com, e se voce for afim de entrar pra Liga dos Subversivos, me deixa saber nesse email aqui tagbrum@speakorama.com

    teh mais!
    tag

  2. Alê dos Santos Says:

    Bom Iver, uma das melhores coisas que eu escutei esse ano. Muito bom esse Cd.

  3. Marcos Olival Says:

    Até ouvir ‘For Emma, Forever Ago’, eu achava que o disco do Fleet Foxes tinha sido o melhor lançamento do ano passado. Agora, estou em dúvida…
    Se o novo do Animal Collective, Merriweather Post Pavillion tivesse sido lançado ainda em 2008, aí eu não teria dúvidas. Deu pra entender?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: