Os 50 melhores discos nacionais da década (11 a 20)

20 – Charme Chulo – Charme Chulo (2007)

capa_novo_cd_charme_chulo_300

19 – No chão, sem o chão – Rômulo Fróes (2009)

nochao

18 – Vagarosa – Céu (2009)

ceu_vagarosa_cover_final_digi1

17 – Wonkavision – Wonkavision (2004)

wonka

16 – C_mpl_te – Móveis Coloniais de Acaju (2009)

Capa_COMPLETE

15 – Pareço Moderno – Cérebro Eletrônico (2008)

cerebroeletronico_parecomoderno_2008_musicasocial

14 – Paraquedas de Coração – Wander Wildner (2004)

vander_wilder

13 – Nadadenovo – Mombojó (2004)

nadadenovo

12 – Uhuuu! – Cidadão Instigado (2009)

cidadaoinstigado-uhuuu

11 – Ventura – Los Hermanos (2003)

ventura-loshermanos

Anúncios

30 Respostas to “Os 50 melhores discos nacionais da década (11 a 20)”

  1. Igor Says:

    Comecei a acompanhar a lista ontem e estava ansioso para ver a postagem de hoje. Tem bastante coisa desse ano, hein? Achei legal ver o “Uhuuu!” e o “Vagarosa” aí no Top 20. Só fico com um pé atrás quanto ao “C_mpl_te”, mas de resto tá bacana.

    Fico aqui na pilha para conhecer os 10 melhores, hehe.

  2. Junior Says:

    Gostei de ver o “Nada de Novo” e o “Pareço Moderno” na lista.
    Espero que alguns discos que eu achei bem legais apareçam entre os 20, como Bad Ass Rock’n’Roll do MQN, o Cinema Auditivo do Wado, o “Zenmakumba” dos Skywalkers e o “Vivendo em grande estilo” do Cascadura.
    Ah, e já que tem tantos discos de 2009 entre os melhores, acho que o “Mustang Bar” de Stela Campos entraria fácil nessa lista.

  3. Maurício p/ Júnior Says:

    Como eu disse anteriormente… Estou falando aqui do q já ouvi… Já pisei na m.erda e posso dizer q não foi nem um pouco agradável… Existem basicamente três vertentes do q hj é chamado de rock nacional: O lirismo folk-debilóide, o regionalismo ufanista calcado no mangue beat (q aliás já não foi grande coisa) e as guitarrinhas funkeadas “a la anos 70″ q, além de não acrescentarem novidade nenhuma, ainda são chatas pra kct !!! E já q antes vc falou em Mutantes, Júnior, se vc for perceber, tudo isso tem origem nos Mutantes, q por sua vez tbm não foram tão originais assim… Eles surgiram numa época em q o povo não tinha acesso ao q acontecia lá fora… E o q acontecia lá fora era basicamente Beatles (na fase psicodélica) e Stones… Está aí a maior virtude de Mutantes… Conhecer essas bandas… Numa boa cara… Quase nada hj em dia vale pena… Ou melhor… A maior parte do q acaba sendo bom, são os discos novos de bandas antigas… Nessa molecada dessa safra, sobra caretice, apatia, arrogância e elitismo… Zero ATITUDE, o q por fim deveria ser a essência do bom e velho rock n’ roll… Cara, acabei de assistir o AC/DC semana passada no Morumbi… Quem dera essas bandinhas com nomes ruins (nem isso sabem fazer direito) fizessem um estágio com Mr. Angus e Malcom Young & CIA… Nossos ouvidos agradeceriam bastante… E mais… Ao menos antes as bandas quando imitavam alguma coisa gringa, tinham a decência de ir beber na fonte do underground: The Jam, Jesus and Mary Chain, Joy Division, Smiths, Cure, Echo and the Bunnymen… Agora, essa galerinha cara de pau não quer nem saber !!! Quando não ficam se copiando entre sí, vão direto no Red Hot Chilli Peppers pra não correr risco de ficar de fora da MTV !!! rs… Cara, chega a ser patético…

  4. Junior Says:

    Mauricio, pelo jeito você pisou na merda e se afundou até a cabeça, pois não consegue enxergar o que existe acima dela…
    Concordo numa coisa: O AC/DC é uma das maiores bandas de Rock da história e fazem um show espetacular, tive a oportunidade de vê-los ao vivo em 1996 e só não fui agora porque acho que não teria como esse show ser melhor.
    Mas cá pra nós, eles caíram na mesmice. Ouvindo o Black Ice, temos uma sensação de Deja Vu várias vezes, com músicas muito parecidas uma com a outra. É aquilo que eu disse anteriormente, tem bandas que se tornam uma paródia de si mesmos.
    É triste ver bandas que são ótimas ao vivo mas vivem de glórias passadas e não lançam um disco bom há décadas, como os Rolling Stones, The Cure e o já citado AC/DC.
    Quer ouvir uma banda nacional que fez escola com o AC/DC? Ouça o Bad Ass Rock’n’Roll do MQN. Se você tiver um pouco de boa vontade acredito que irá gostar.

  5. Maurício p/ Júnior Says:

    Uma vez ví um resenha na Brigade falando do lançamento do Stiff Upper Lip, album do AC/DC de 2000 que dizia o seguinte: “Mais uma vez o AC/DC lança um album idêntico a todos os outros q lançou ao longo de toda a sua carreira, GRAÇAS A DEUS !!!”… Cara, isso resume bem o q eu penso de bandas como AC/DC, Ramones, Maiden, Ozzy… Não tem mesmo nada q inventar… São bandas eternas q se tornaram grandes pq se mantiveram fieis aos seus princípios aos seus fãs… Não acho q nenhuma delas se tornou paródia de si mesmas DE MODO ALGUM !!! O q já não acontece com bandas como “Loser Manos” cujas carreiras paralelas de seus integrantes Amarante e Camello já se tornaram (tão cedo!!!) arremedos do q eles faziam na banda original, q já era uma bosta… Caetano Veloso, q está nessa lista, então nem se fala… Vc falou sobre caras q vivem de glórias passadas… O q tem a dizer desse sujeito ?! Na verdade a situação atual da música no Brasil é tão crítica q uma banda, justamente dos anos 80, resume bem o q está acontecendo: “Quem tenta ser diferente, apenas fica igual a todo mundo q tenta ser diferente” – Capital Incial… Só pra constar, conheço o Bad Ass e não acho grande coisa não… Prefiro muito mais o Baranga e o Forgotten Boys… Isso pra falar das coisas mais “pop”… Bandas e músicos bons de verdade hj estão no undergroud do Metal brasileiro… Bandas como Torture Squad, q faturou o Metal Battle no Wacken Open Air de 2007 e nem foi divulgado por aqui, sendo q na Alemanha, até coletiva na MTV local deram… Preferimos dar bola pra caras como Lulu Santos q dizem estar em turnê internacional quando tocam num boteco no Paraguai… LAMENTÁVEL !!!

    • Junior Says:

      Maurício, concordo plenamente com suas críticas ao Los Hermanos e ao Caetano. Nunca digeri bem as músicas da ex-banda de Marcelo Camelo (e olha que eu pisei na merda para ter certeza que não era agradável). O Caetano então, deixou de ser relevante há muito tempo.
      E o Lulu Santos? Esse poderia cair no limbo do esquecimento que não faria falta alguma.
      Quanto ao Capital Inicial, você realmente acha que a opinião de Dinho Ouro Preto tem alguma importância?
      Quando você escreveu “Bandas e músicos bons de verdade hj estão no undergroud do Metal brasileiro”, logo me veio à cabeça o Massacration, foi inevitável a comparação.
      O Metal se tornou uma repetição de velhos clichês (Salvo raras exceções) chegando a ser um gênero caricato demais.
      Entendo que temos opiniões divergentes, respeito a sua, sei que tudo é uma questão de gosto pessoal, mas dizer que “Os Mutantes não foram lá muito originais” e que “o mangue beat não foi grande coisa”, me desculpe, mas acho que toda sua argumentação foi pelo ralo…

      PS: Também sinto falta do Wander Wildner nos Replicantes, mas isso não me impede de achar “Baladas Sangrentas” um disco genial da carreira solo dele.

    • Rafael Costa Says:

      Maurício, você prefere Forgotten Boys a Los Hermanos?
      Então meu caro, você não entende nada de música.
      Se você não consegue perceber a genialidade e inovação de compositores como Camelo e Amarante, mesmo não gostando do estilo dos caras (porque se pode respeitar sem apreciar).
      Você deve ser mais um desses carinhas que usam camiseta preta com nome de banda e que acham que só existe um estilo de música no mundo.

  6. Maurício Says:

    Q saudades do Wander Wildner nos Replicantes… 😦

  7. Carmen Says:

    Já que a discussão aqui é a porcaria indie nacional, também, vejam esse blog http://dynamite.terra.com.br/blog/jukebox/

  8. Jean Maurice Says:

    Gostei do discurso do Maurício. Muito interessante realmente. Apesar de não concordar com tudo. Graças a Deus né! Se não – recorrendo ao clichê – imagina que chatisse seria do mundo se todos gostassem do amarelo? Mas enfim, não costumo escrever esse tipo de post, porém realmente não resisti, porque conhecimento de causa ele mostrou que tem… E de sobra!
    É isso aí… Parabéns! Fico por aqui.
    Abraço.

  9. Maurício p/ Júnior Says:

    Bom, antes de tudo precisamos definir o q são “clichês”… Pra mim o que normalmente se torna “clichê” é algo que num primeiro momento é tão inovador, original e revolucionário que acaba sendo copiado à exaustão… Riffs pesados de guitarra podem entrar ou não nessa classificação, dependendo de quem os desenvolve… O que muitos chamam de “clichê”, muito fequentemente está ligado simplesmente ao estilo a que se propõe tocar… Como no caso do Heavy Metal… O Massacration é uma paródia feita com muita propriedade pela galera do Hermes e Renato e todo head banger q eu conheço ADORA, pq é algo feito por quem curte e sabe do q está falando… A turma do Hermes e Renato tbm tira muito sarro da galera da MPB, do axé, do pagode, do funk, tbm explorando seus clichês… Agora, o q acontece com a maioria das bandas dessa lista é o mais lamentável… Algumas bandas de metal podem até cair na armadilha do clichê, mas esses clichês foram criados por quem gosta de metal e para o metal… Já essas bandinhas ROUBAM cliches de tudo quanto é estilo e acabam ficando com cara de NADA !!! Não têm a menor personalidade… Se vc pegar um som do Sabbath por exemplo, vc sabe exatamente quem está tocando no primeiro acorde, pq a guitarra do Tommy Iommi tem uma personalidade impar !!! E é assim com o Steve Harris no baixo do Maiden, com o Lars na bateria do Metallica e com a maior parte das bandas de metal… Seja sincero… Vc acha poderia fazer o mesmo com qualquer uma das bandas dessa lista ?! DUVIDO !!!

    • Rafael Costa Says:

      Hermes e Renato? Massacration? hahahaha.
      Eles é que são bons??

      O cara me crítica Los Hermanos e elogia Hermes e Renato?? Hahaha.

      Tá compreendido o seu nível de conhecimento musical então, meu amigo…Hahaha. cada uma.

  10. Maurício Says:

    Aliás, uma outra coisa q eu acho hilária é esse povo q critica o Heavy Metal dizendo q é um estilo caricato e q no CD player de seus carros têm reggae e hip hop rolando !!! O cúmulo da incoerência !!! rs… Só rindo mesmo…

  11. Ricardo Says:

    Peraí, sério que tem um metaleiro cagando regra aqui e dizendo que Mutantes não é original? Justo o fã de um gênero datado pra caralho? E ainda citando Capital Inicial para justificar suas opiniões?

    Ah, e Forgotten Boys é ruim para caralho

  12. Maurício p/ Ricardo Says:

    Ricardinho ficou ofendido pq falei mal de pagode !!! OHHHH, dó !!! Desculpa aí, cara… Foi mal !!! AHAHAHAHAH !!!

  13. Maurício Says:

    O mais engraçado é q os mutantes começaram no mesmo ano em q foi lançado o Revolver dos Beatles, né ?! 1966… O próprio Sérgio Dias já deu entrevista dizendo q quando ele conheceu o Julian Lennon e este lhe perguntou quais eram as maiores influências dos Mutantes, ele respondeu: “Teu Pai, Pô!!!”… É exatamente o q estou dizendo… Era o auge da ditadura no Brasil… Quem não tivesse grana e não fosse filhinho de papai, não tinha acesso a albuns importados… Quem tinha virava deus !!! Foi o q aconteceu com os Mutantes… Todo o movimento da Jovem Guarda, logo depois foi totalmente baseado nisso… Covers em português de canções gringas… E o povão ignorante mordeu a isca direitinho e acreditou naquilo tudo… Acorda galerinha…

    • Ricardo Says:

      Qual o problema em ser influenciado por alguém? Isso é crime? Engraçado é que são dois pesos e duas medidas. Se uma banda de metal é influenciada pelo Sabbath não tem problema, por que “esses clichês foram criados por quem gosta de metal e para o metal”. Aí vale até copiar descaradamente o som. Fora que antes você defendeu que quando as bandas brasileiras copiavam o underground nos anos 80 não tinha problema. Meu caro Maurício, tão vendendo coerência de discurso ali na esquina, corre ali comprar que tá baratinho.

      Ah, e uma coisa é influência e outra é cópia. Os Mutantes foram importantes para caralho por que souberam pegar os elementos apresentados pelos Beatles e colocarem sua própria cara no psicodelismo, misturando ritmos regionais brasileiros, tudo temperado pela irreverência da banda, que não tinha medo de experimentar e espantar os ouvintes. Justo quando eles perderam essa irreverência e começaram a ficar mais cabeças, se afundando no LSD e no progressivo, que a banda foi pro brejo.

  14. Maurício Says:

    Pra galerinha que tá dodói com as verdades sobre mutantes, escutem a linha de baixo de “Time of the season” do Zombies e comparem com “Ando meio Desligado”… Cara… Chega a ser constrangedor !!! E não é só isso, não !!! Escutem “Beijo Exagerado” com “Brown Sugar” dos Stones na cabeça… Pra onde vai a tão propalada originalidade dos Mutantes, heim ?!

  15. Maurício Says:

    Concordo plenamente Ricardo, vc falou tudo… Cópia é uma coisa, influência é outra… Nunca detratei a influência, desde que essa fosse incorporada a um som próprio que tivesse um pingo de originalidade… Agora, existe influência bem aplicada, existe cópia barata e existe plágio… O q a maior parte das bandinhas da nova safra fazem é cópia barata, e o pior e mais patético !!! Uma das outras !!! AHAHAHAH… Plágio, é outra estória… Plágio é caso de polícia, é roubo !!! E se vc ouvir “Time of the Season” e comparar com “Ando meio Desligado”, só não vai concordar comigo se for muito birrento… É plágio SIM !!!

  16. Maurício p/ Ricardo Says:

    E outra Ricardo, em momento algum eu DEFENDI que as bandas dos anos 80 DEVESSEM copiar quem quer q fosse… Só disse q QUANDO acontecia, eles ao menos iam buscar o underground… Pelo menos a cara de pau era menor… Foi isso q eu disse…

  17. Junior Says:

    Realmente a coerência passou longe quando o Maurício critica a originalidade dos Mutantes e exalta bandas como Legião Urbana, que era uma tentativa frustrada de ser os Smiths…
    Os Mutantes nunca negaram a influência dos Beatles, mas souberam utilizar isso a favor da criatividade, misturando elementos regionais e soando autênticos, com toda a brasilidade que sua música exalava, deferenciando-os das outras milhares de bandas que tentavam se parecer com os Fab Four.
    E bom mesmo são as novas bandas de Metal, hahaha
    Bom Maurício, como eu disse antes, cada um tem seu gosto, mas só acho que você está manifestando o seu no canal errado.
    Espere a lista da Rock Brigade sair para poder fazer seus comentários, com mais propriedade.

    Ah, quanto à sua pergunta sobre qual instrumentista das bandas da lista tem estilo próprio, eu posso citar alguns aqui: Lucio Maia e Pupilo (Nação Zumbi), Fernando Catatau (Cidadão Instigado), Gabriel Azambuja (Cachorro Grande) e muitos outros músicos que apenas não vou listar aqui, para não me extender muito.

    • Maurício p/ Ricardo Says:

      Nação Zumbi ?! Putz cara… Sinceramente, agora vc jogou no lixo o mínimo de respeito q tinha conseguido !!! Daqui a pouco vai estar elogiando o Carlinhos Bown !!! AHAHAHAH… Desculpa peguei pesado, não é pra tanto… rs… Cara, Cachorro Grande é um dos maiores imbustes da história da música !!! Os caras se vestem todos como o Angus Young e fazem uma cópiazinha patética do Oasis (!!!) até no posicionamento do Beto Bruno diante do microfone !!! Cara… Cachorro Grande é risivel !!! Dignos de aparecer no Chacrinha !!! E olha a banda q eles decidiram imitar !!! OASIS, q já é uma BOSTA !!!! A única coisa de coerente no Cachorro Grande é o nome… Fede igual a um cachorro grande molhado !!! Ahahahahahahah…E se vc não acha q minha opinião não tem valor algum, pq ainda está se dando o trabalho de responder ? Acho q as pulgas do cachorro grande foram pra trás da sua orelha e elas devem estar dizendo pra vc questionar o seu gosto !!!! P.S.: “brasilidade” é um puta termo clichê q me faz ter vontade de vomitar !!! rs…

    • Rafael Costa p/ Junior Says:

      Rodrigo Amarante também tem seu estilo próprio

  18. Maurício Says:

    Ah, e antes q eu me esqueça, Júnior… Já q vc é tão ufanista e faz tanta questão de “brasilidade” (ECA) e já q questionou sobre as boas novas bandas de metal brasileiras, uma dica boa pra vc… MATANZA !!! Vão tocar no Hangar 110 nos dias 18 e 19… Aí vc vai ver o q é atitude… Vai lá… Com certeza eu vou !!! rs…

  19. Junior Says:

    Pô Maurício, Matanza não é novidade pra mim não…
    Já vi os caras na Clash Club, no Outs e no Catedral em Santo André, tenho os CDs deles e considero o Música para beber e brigar o melhor deles.
    Só não acho que eles possam ser classificados como banda de Metal, né? Inclusive essa é uma banda que os meus amigos metaleiros odeiam…
    Tem alguma outra dica para me dar?…
    Quanto ao Cachorro Grande, eu gosto dos dois primeiros discos deles, que são sensacionais sim. Não tinha nada de Oasis, era pura influência de Beatles, The Who e Rolling Stones.
    Do terceiro em diante a coisa realmente degringolou, com a guinada que eles deram em busca do sucesso comercial, quando foram adotados pela MTV.
    Apenas uma correção: quando você diz que os caras do CG se vestem igual ao Angus Young, apenas para sua informação, muito antes do AC/DC os Beatles usavam aqueles trajes em Hard Days Nights.
    E foi justamente o que o Cachorro Grande tentou reproduzir na capa de seu disco de estréia.
    tsc, tsc…
    Aqui vai o link da foto dos Beatles para você conferir o que estou dizendo http://www.sfgate.com/blogs/images/sfgate/inmarin/2009/06/16/HardDaysNight.jpg
    Um abraço e vê se pára com essa rabugice, hein? hehehe

    • Maurício Says:

      Pô cara !!! A menina sentada aqui do meu lado não está entendendo nada !!! Eu tô chorando de rir feito um loko aqui com vc tentando me “doutrinar” a respeito de Beatles !!! Ahahahahah… Cara, na casa dos meus pais eu tenho todos os vinís de Beatles da época das primeiras tiragens q sairam no Brasil !!! And I Love Her e Michelle foram o meu Nâna Nenê e meu Boi da Cara Preta…rs. Assisti Os Reis do Iê Iê Iê em Super 8 !!! Eu tenho quase 40 anos cara e Beatles fazem mais parte da minha vida do que a própria escola !!! rs… Então… E Matanza… Cara, vou te falar uma coisa, se os seus amigos headbangers deixa vc os chamar de “metaleiros” sem te encher de porrrada, eu já questiono até q ponto eles realmente gostam de Metal…rs. Outra, se o Matanza não é Metal, pq eu vejo tantas camisetas do Slayer e do Mötorhead nos shows deles ?! E outra, vc conhece o atual guitarrista do Matanza, o Maurício Nogueira ?! Pois é… Dá uma pesquisada… Ele pertenceu a duas das melhores e mais pesadas bandas brasileiras dos ultimos tempos Krisiun e Torture Squad… Aliás duas ótimas dicas pra vc… Mas sério cara, deixando as animosidades de lado… Vc pode não acreditar, mas está sendo realmente um prazer bater esse papo com vc… Apesar de termos claramente gostos bastante distintos, está óbvio tbm q somos dois apaixonados por música e arduos defensores dos nossos pontos de vista… E me desculpe por minha aparente “rabugice” como vc se referiu, mas é q outra das minhas paixões é o exercício da dialética… E quando encontro alguém disposto a exercitá-la, nunca perco a oportunidade… Um abraço !!! 😀

  20. Junior Says:

    Pois é Maurício, me admira muito um cara com o profundo conhecimento de Beatles como você diz ter, fazer uma confusão dessas, dizendo que os caras da Cachorro Grande se vestem como o Angus Young… Nunca vi eles usando bermuda nos shows…
    Mas beleza, deslizes como esses são normais.
    Quanto aos meus amigos “Metaleiros”, eu chamos eles assim justamente para provocá-los, pois sei que para eles isso é pejorativo e eu acho engraçado um fã de Metal rejeitar o rótulo de Metaleiro. Um cara que gosta de Punk tem orgulho de ser chamado de Punk. Até os Emos admitem ser Emos, por mais vergonhoso que isso seja, rsrs…
    Mas de boa, estou achando bem divertida essa nossa discussão aqui, já deu para ver que você não é um headbanger bitolado, conhece bastante coisa, mas tem umas opiniões meio contraditórias e reacionárias.
    Aliás, essa nossa discussão me lembrou que nos anos 80 eu tentava convencer alguns amigos roqueiros mais tradicionalistas que algumas bandas novas como Echo & The Bunnymen, The Cure, REM, Jesus & Mary Chain eram boas e todos eles achavam que era tudo modinha e que depois de alguns anos ninguém mais se lembraria deles. Ledo engano, até hoje são bandas cultuadas e ainda fazem shows bem concorridos.
    É isso aí, mande um abraço para o seu pai, que apesar de ter sido bem intencionado te apresentando aos Beatles desde pequeno, não imaginou que o filho se tornaria mais uma vítima do Heavy Metal.
    Acontece nas melhores famílias, rsrsrs
    Um abraço Maurício

  21. Os 50 melhores discos nacionais da década (1 a 10) | A Day In The Life Says:

    […] a última parte – e aqui os discos de 11 a 20, 21 a 30, 31 a 40 e 41 a 50. Leia, comente, xingue, critique, participe mas, o mais importante, […]

  22. Rafael Costa Says:

    Interessante é que o Ventura teve que fazer sucesso pra todo mundo prestar atenção no Bloco. De repente o Bloco virou o melhor CD. O ventura é muito melhor. O Ventura consolidou uma época e influenciou uma geração de formadores de opinião. O Bloco foi o início, o Ventura a consolidação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: